quinta-feira, 16 de abril de 2015

Avião realiza pouso de emergência na rodovia Washington Luís no final da tarde dessa quinta-feira!

egundo informações da Polícia Rodoviária Estadual, o avião pousou no canteiro central, por ter perdido altitude durante o voo, na rodovia Washington Luís por volta das 17h50. O avião é de pequeno porte do modelo Paulistinha. A rodovia não foi interditada e não houveram vítimas.
A Polícia Rodoviária e o Corpo de Bombeiros ainda estão no local e as pessoas no avião eram um instrutor de voo e alunos. A Polícia Civil já foi acionada e está se dirigindo até o local.
Mais informações amanhã no nosso site: www.noticiadamanha.com.br
As fotos foram enviadas por um leitor.


quarta-feira, 15 de abril de 2015

Colisão com antena pode ter feito avião derrapar em Hiroshima

22 pessoas ficaram levemente feridas.
Avião derrapou e saiu da pista.

Da EFE
Avião da Asiana Airlines é visto após derrapar para fora da pista durante o pouso no aeroporto de Hiroshima, no Japão. O Airbus A320 chegava de Seul, na Coréia do Sul, na manhã desta quarta-feira (15), no horário local (Foto: Kyodo/Reuters)Avião da Asiana Airlines é visto após derrapar para fora da pista durante o pouso no Aeroporto de Hiroshima, no Japão. O Airbus A320 chegava de Seul, na Coreia do Sul, na manhã desta quarta-feira (15), no horário local (Foto: Kyodo / Reuters)
A colisão com uma antena de telecomunicações pode ter sido a causa do acidente durante a aterrissagem do avião da companhia sul-coreana Asiana no aeroporto de Hiroshima, no sul do Japão, uma manobra que deixou 22 pessoas levemente feridas. O Airbus A320 derrapou e saiu da pista.
  •  
Turbina da aeronave está danificada. (Foto: Muneyuki Tomari / Kyodo News / via AP Photo)Turbina da aeronave está danificada. (Foto: Muneyuki Tomari / Kyodo News / via AP Photo)
Segundo as primeiras investigações, uma das rodas do trem de pouso teria batido com uma antena instalada perto da pista durante o pouso, informou nesta quarta-feira (15) um porta-voz do Ministério de Transporte do Japão à agência "Kyodo".
 O avião com origem em Incheon, na Coreia do Sul, aterrissou pouco depois das 20h locais (8h da terça, 14, em Brasília), com 74 passageiros e oito tripulantes a bordo.
Após tocar no chão, a aeronave percorreu metade da pista antes de derrapar, sair do trajeto e fazer uma curva de 180 graus à esquerda, segundo explicaram funcionários do aeroporto.
Todas as pessoas a bordo conseguiram abandonar o avião utilizando uma rampa inflável de emergência.
Na roda esquerda do trem de pouso da aeronave foram encontradas partes da antena quebrada, que tinha 6,4 metros de altura e estava instalada a cerca de 300 metros da cabeceira da pista.
Além disso, a estrutura danificou a asa e o motor esquerdo do Airbus, atingindo também parte da cauda.
Danos na área de antenas de comunicação no Aeroporto de Fukushima. (Foto: Muneyuki Tomari / Kyodo News / via AP Photo)Danos na área de antenas de comunicação no Aeroporto de Fukushima. (Foto: Muneyuki Tomari / Kyodo News / via AP Photo)
"O avião balançou antes de aterrissar, depois deu a impressão de remeter ao tocar no chão", contou um passageiro à "Kyodo". Outra pessoa disse que depois da derrapagem foi possível ver fogo em um dos motores, provocando uma fumaça que começou a entrar no interior da aeronave.
Três integrantes da Comissão de Segurança no Transporte do Japão começaram uma investigação sobre o acidente. A Coreia do Sul e a Asiana também enviaram especialistas para analisar o caso.
Apesar de as condições de visibilidade não serem boas no momento do incidente (havia nevoeiro e chuva moderada), a suspeita é que o piloto desceu demais o avião ao se aproximar da pista.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Aeronave cai no mar do Leblon, na Zona Sul do Rio

Queda ocorreu a 200 metros da areia, em frente ao posto 12.
Piloto e copiloto não ficaram feridos no acidente.

Alba Valéria Mendonça Do G1 Rio
Um avião caiu no mar do Leblon, na Zona Sul do Rio, por volta das 9h30 desta sexta-feira (10). A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros. A queda ocorreu a 200 metros da areia, em frente ao posto 12.
O piloto, identificado como Gabriel Carvalho Belchior, 31 anos, e o copiloto, Luiz Felipe Matos Saback, 56, não se feriram. Por volta das 10h17, eles estavam no posto de salvamento prestando depoimento. O copiloto deixou a praia sem falar com a imprensa. Não há informações sobre a causa do acidente.
Piloto e copiloto não ficaram feridos (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)Piloto e copiloto não ficaram feridos
(Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)
Segundo o Grupamento de Busca e Salvamento, um helicóptero seguiu para o local. Ainda de acordo com a corporação, o avião estava sendo rebocado por volta das 9h50 por pescadores que estavam no mar, em uma traineira, no momento do acidente. Eles fizeram o primeiro resgate do piloto e copiloto. Depois, bombeiros chegaram ao local.
Segundo bombeiros que estiveram no local, Belchior e Saback relataram que a aeronave, um avião particular, partiu do Aeroporto de Jacarepaguá para um passeio. Quando chegou na altura do Leblon, o piloto sentiu o motor falhar. Ele ia tentar o retorno para o aeroporto, mas quando viu que não seria possível, fez um pouso forçado, tocando a cauda da aeronave na água, num primeiro momento, para amortecer a queda.
O barraqueiro Mucha Dattoli, conhecido como Baiano, contou que foi o primeiro a ver a queda do monomotor. Segundo ele, o avião veio das Ilhas Cagarras em direção à praia, voando muito baixo.
"Deu pra ver qu eles tinham problemas porque o avião estava muito baixo. Parecia até que vinham tomar uma água de coco na barraca. Aí, baixaram na água muito suave. Tinha pouca gente na praia e ninguém viu. [A queda] foi muito de leve. Gritei pelos bombeiros, mas já tinha um barco de pescadores tirando os dois da água. Foi tudo muito rápido coisa de dois minutos. Nunca vi disso na minha vida. O bom é que eles saíram bem", disse o barraqueiro.
Depois de exame médico no posto dos bombeiros, piloto e copiloto foram para a 14ª DP (Leblon) para mais esclarecimentos.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1.
Aeronave foi rebocado ainda na manha desta sexta (Foto: Reprodução/TV Globo)Aeronave foi rebocado ainda na manha desta sexta (Foto: Reprodução/TV Globo)

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Motor de avião explode durante decolagem no aeroporto de Istambul

Não há relato de vítimas; passageiros embarcaram em outro avião.
Causa de explosão ainda é desconhecida.

Da EFE
  •  
A CNNTürk divulgou fotos roda destruída de avião da Qeshm Air que sofreu acidente nesta quinta (9) em aeroporto de Istambul (Foto: Reprodução/ Twitter/ CNN)A CNNTürk divulgou fotos roda destruída de avião da Qeshm Air que sofreu acidente nesta quinta (9) em aeroporto de Istambul (Foto: Reprodução/ Twitter/ CNNTürk)
Um avião das linhas aéreas iranianas Qeshm Air sofreu nesta quinta-feira (9) um grande acidente no aeroporto de Atatürk em Istambul após a explosão de seu motor, sem que haja relato de vítimas, informou a emissora "CNNTürk".
O acidente aconteceu por volta das 13h30 local (10h30, em Brasília), quando o aparelho, um Airbus 300 B4, estava acelerando na pista de decolagem para iniciar seu voo rumo a Teerã.
Nesse momento, o motor direito explodiu por causas ainda desconhecidas e começou a pegar fogo, ao mesmo tempo em que seus componentes se esparramaram pela pista, inutilizando as rodas do avião que colidiram com as peças.
O piloto conseguiu parar o avião e logo depois veículos de bombeiros e ambulâncias já estavam no local, enquanto outras equipes limparam a pista, cheia de destroços do motor.
Segundo a emissora, os passageiros foram levados a outro terminal, desde onde embarcaram em outro avião.
O aeroporto de Atatürk acolhe mais de 50 milhões de passageiros anuais, 34 milhões deles em seu terminal internaciona

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Dilma manda Infraero e FAB ajudarem no combate a incêndio em Santos

Incêndio em área industrial da cidade chegou ao quinto dia.
Seis tanques de combustível foram atingidos; dois permanecem em chamas.

Filipe Matoso Do G1, em Brasília
A presidente Dilma Rousseff determinou que a Infraero e a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizem pessoal e equipamentos para auxiliar o governo de São Paulo e a Prefeitura de Santos no combate ao incêndio em tanques de combustível na área portuária da cidade do litoral paulista.
A informação foi dada nesta segunda-feira (6) pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República, dois dias após o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, pedir ajuda federal.
O incêndio chegou ao quinto dia e as causas ainda são desconhecidas. O fogo em tanques da empresa Ultracargo começou na manhã da última quinta-feira (2). Ao todo, seis tanques foram atingidos e, nesta segunda, dois ainda permaneciam em chamas.
“A presidenta Dilma Rousseff determinou aos órgãos do governo federal, como Infraero e Força Aérea Brasileira, que prestem auxílio ao governo do Estado de São Paulo e à Prefeitura de Santos, no combate ao incêndio nos tanques de combustível armazenados no pátio da Ultracargo, em Santos, que já dura quatro dias”, informou o Planalto.

"A presidenta Dilma ordenou que a Aeronáutica e a Infraero coloquem homens e equipamentos para auxiliar no combate ao incêndio", diz a nota do governo.

De acordo com a assessoria de imprensa da Infraero, o órgão deverá enviar caminhões de combate a incêndios para o local onde os tanques de combustível estão em chamas.

De acordo com o Ministério da Defesa, a FAB auxiliará no transporte de homens e equipamentos do Exército que já atuam em Santos. Segundo a pasta, militares do Batalhão de Goiás, especializados em defesa química, biológica, radiológica e nuclear estão na cidade paulista para auxiliar nos trabalhos de controle do prejuízo ambiental causado pelas chamas. Eles também deverão ajudar a Defesa Civil caso seja preciso evacuar a área próxima à região dos tanques.
Conforme a nota divulgada nesta segunda pelo Planalto, o prefeito de Santos, Paulo Alexandre, e o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre Moraes, conversaram com o vice-presidente da República, Michel Temer, no último sábado (4) sobre o incêndio nos tanques de combustível.

Até agora, segundo os Bombeiros, quase seis bilhões de litros de água do mar foram usados para combater o fogo. Como parte da água é poluída e devolvida para o mar, estudos já apontaram que o incêndio é responsável por uma alta taxa de mortalidade de peixes na região afetada.
Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pelo Palácio do Planalto:
Governo federal presta ajuda no combate ao incêndio em Santos
A presidenta Dilma Rousseff determinou aos órgãos do governo federal, como Infraero e Força Aérea Brasileira, que prestem auxílio ao governo do Estado de São Paulo e à Prefeitura de Santos, no combate ao incêndio nos tanques de combustível armazenados no pátio da Ultracargo, em Santos, que já dura quatro dias.
Ainda no sábado, o prefeito de Santos, Paulo Alexandre, e o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre Moraes, conversaram com o vice-presidente Michel Temer. A presidenta Dilma ordenou que a Aeronáutica e a Infraero coloquem homens e equipamentos para auxiliar no combate ao incêndio.
Secretaria de Imprensa/SECOM
Presidência da República

Novo vídeo mostra queda de helicóptero que matou cinco em SP

Entre os mortos está o filho caçula do governador de São Paulo.
Imagens foram registradas por câmera de segurança de empresa.

Do G1 São Paulo
Um novo vídeo enviado nesta segunda-feira (6) pela ferramenta colaborativa VC no G1 mostra, por outro ângulo, a queda do helicóptero que matou cinco pessoas nesta quinta-feira (2) em Carapicuíba, na Grande São Paulo.
Entre os mortos no acidente está Thomaz Alckmin, o filho caçula do governador de São Paulo.
As imagens foram registradas pela câmera de segurança da empresa Driller, que fica na Estrada da Fazendinha.
O vídeo mostra, no canto direito, a queda livre e desgovernada da aeronave. Além de Thomaz, morreram o piloto e três mecânicos.
Um primeiro vídeo que mostra a aeronave segundos antes de atingir o solo foi analisado pelo perito Ricardo Molina.
Segundo ele, tudo indica que uma peça vista nas imagens seja uma das pás do rotor do helicóptero, conjunto popularmente conhecido como hélice. (Veja abaixo)
"Após analisar o vídeo quadro a quadro, posso dizer que uma peça se solta do helicóptero antes da queda”, disse Molina.
Duas pás foram encontradas próximas ao local da queda. O conjunto de pás do rotor principal do helicóptero passou por uma inspeção de rotina, mas não foi substituído, segundo informou a Helibrás ao G1.
A empresa é representante no Brasil da Eurocopter, fabricante da aeronave, e é a única autorizada a fazer o serviço de vistoria na América do Sul de produtos da marca.
Inspeção
De acordo com a Helibrás, as cinco pás foram retiradas da aeronave para a inspeção, como descrito nos manuais do fabricante. O procedimento, segundo apurou o G1, foi classificado como simples por não afetar as áreas críticas e estruturais das pás.
Após vistoria, o conjunto de pás foi entregue novamente à proprietária da aeronave, a Seripatri, com um relatório sobre a inspeção. A Helibrás nega, no entanto, que tenha feito a reinstalação das pás.
O serviço foi feito por uma oficina do Helipark - de onde partiu o helicóptero -, que é credenciada pela Helibrás e homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), segundo a Seripatri. A Helibrás, no entanto, afirma que não possui nenhuma oficina credenciada no país para execução de serviços de manutenção em suas aeronaves.
As empresas não informaram a data de inspeção e reinstalação das pás, mas a dona da aeronave confirmou que o acidente ocorreu durante um voo teste e de balanceamento após a colocação das peças. A Seripatri afirmou ainda que a aeronave tinha cerca de quatro anos de uso, com 600 horas de voo e manutenção rigorosa feita em oficinas homologadas pela Anac.
Investigação policial
A Polícia Civil quer ouvir pelo menos 20 pessoas, entre elas os responsáveis pela inspeção nas pás. Os investigadores do 1º Distrito Policial querem saber se o helicóptero da empresa Seripatri caiu por causa de falha mecânica ou humana, ou ainda a conjunção dessas duas possibilidades na queda da aeronave na quinta-feira (2).
A investigação pretende ouvir funcionários que trabalharam na manutenção e os donos da aeronave, do tipo Eurocopter, EC-155 B1, que é fabricado por um consórcio europeu. Especialistas o consideram um dos melhores e mais seguros helicópteros de transporte de passageiros.
Peritos investigam causas de queda de helicóptero em São Paulo (Foto: Reprodução TV Globo)Peritos investigam causas de queda de helicóptero
em São Paulo (Foto: Reprodução TV Globo)
As partes do helicóptero foram levadas para um hangar da aeronáutica, no Campo de Marte, onde fica a unidade regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).
Duas pás, uma delas encontrada perto do condomínio onde o helicóptero caiu, estão entre os fragmentos recolhidos para análise.
Moradores do Condomínio Fazendinha, que fica na altura do km 26 da Rodovia Castello Branco, viram quando o helicóptero caiu bruscamente sobre as casas. Uma câmera de segurança também registrou a queda. Nas imagens é possível ver que um objeto vai em outra direção.
Segundo o engenheiro aeronáutico Shailon Ian, a análise das pás, feita pelo Cenipa, vai revelar se elas se desprenderam da aeronave. “Em 16 anos, eu nunca vi uma pá principal se desprender”, observou.
Para o especialista, existem várias explicações para que a pá se deslocasse. Ela pode ter se soltado porque houve um choque com algum objeto enquanto voava, porque o rotor parou abruptamente e a inércia fez ela sair.
A pá pode ter se soltado ainda um pouco antes da queda, quando o helicóptero bateu em uma árvore. Na queda, a aeronave atingiu três casas.
Além do caçula de Alckmin, morreram Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves (53 anos, piloto do helicóptero e funcionário da Seripatri), Paulo Henrique Moraes (42 anos, mecânico e funcionário da Seripatri)  Erick Martinho (36 anos, mecânico da empresa Helipark) e Leandro Souza (34 anos, mecânico da Helipark).

Além do caçula de Alckmin, morreram Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves (53 anos, piloto do helicóptero e funcionário da Seripatri), Paulo Henrique Moraes (42 anos, mecânico e funcionário da Seripatri)  Erick Martinho (36 anos, mecânico da empresa Helipark) e Leandro Souza (34 anos, mecânico da Helipark). CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ASSISTIR O VÍDEO.

Pane no motor de ultraleve obriga piloto a fazer pouso forçado

Homem de 45 anos acabou descendo a aeronave no Sítio São José, em Álvares Machado. Ele não teve ferimentos

Heloise Hamada e Valmir Custódio
Um ultraleve fez um pouso forçado na zona rural de Álvares Machado, por volta das 18h15 deste sábado (4). Segundo a Polícia Civil, o piloto, de 45 anos, desceu no Sítio São José, localizado no Bairro Reservado.
Ainda conforme a polícia, o piloto relatou que saiu de uma base em Álvares Machado e ficou sobrevoando a cidade. Quando estava retornando, percebeu que o motor entrou em pane. Então, também conforme o homem, ele procurou uma área livre para descer, momento em que fez o pouso forçado no gramado do sítio.
A Polícia Civil informou que o piloto não se feriu e que, após o acidente, ele retornou para a base. O Corpo de Bombeiros afirmou que estava indo para o local, mas que o pedido foi cancelado, pois o homem não precisou de atendimento.
Com o impacto no solo, o ultraleve teve danos no bico, nas asas e nas rodas. Policiais preservaram o local e o caso foi registrado na Delegacia de Álvares Machado como "não criminal".