quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Forças Aéreas do Brasil e do Peru treinam defesa aérea na Amazônia

Em sua 5ª edição, exercício operacional PERBRA tem como objetivo coibir voos ilícitos na região de fronteira
Publicado: 25/08/2015 15:35h
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea
Apresentações de militares da FAB e da FAP  Ten Humberto/Agência Força AéreaAs cidades de Cruzeiro do Sul, no Estado do Acre, e Pucallpa, no Peru, sediam nesta semana a quinta edição do exercício binacional PERBRA, envolvendo as forças aéreas do Brasil e do Peru. De hoje (25/8) até a próxima quinta-feira (27/8), pilotos e controladores de tráfego aéreo vão treinar juntos procedimentos de interceptação de aeronaves em voos ilícitos simulados entre os dois países.
O exercício consiste em um avião C-98 Caravan, da Força Aérea Brasileira (FAB), sair de Cruzeiro do Sul em direção ao Peru e ser interceptado por caças A-37 Dragonfly da Força Aérea do Peru (FAP). No retorno, ocorre mais uma interceptação, dessa vez por caças A-29 Super Tucano da FAB. O mesmo procedimento, em sentido inverso, é realizado com um avião TC-690 da FAP. Caça peruano A-37 Dragonfly   Cb Junior/Agência Força Aérea
De acordo com o diretor do exercício no Brasil, Tenente-Coronel Marcelo Alvim, o objetivo principal é treinar a transferência dos chamados "tráfegos de interesse" entre os dois países. "São dois países que têm uma fronteira bastante sensível, onde ocorrem muitos ilícitos transfronteiriços, e têm grande interesse em mitigar esse volume de ilícitos", afirma. “Se um avião ultrapassa a fronteira sem um plano de voo, já é um voo ilícito”, completa.
Brasil e Peru têm acordos de defesa para que se uma aeronave em voo ilícito estiver aqui em rota para o país vizinho, o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA) alerta as autoridades peruanas. O procedimento inverso também ocorre.
Aviões A-29 Super Tucano são do Esquadrão Grifo  Sgt Johnson/Agência Força Aérea“A Defesa Aérea Brasileira precisa estreitar as relações com os países vizinhos, a fim de aprimorar o controle do espaço aéreo e facilitar a transferência de informações nas regiões de fronteira. Assim, quando algum tráfego cruza a fronteira, devemos informar e ser informados prontamente, visando tomar atitudes no sentido de mitigar o uso do espaço aéreo para ações ilícitas, mantendo assim a soberania nacional ", explica o diretor do exercício.
Além dos treinamentos dos pilotos, controladores de tráfego aéreo trabalham juntos em Manaus (AM) e em Pucallpa, onde estão os centros de defesa aérea das duas forças aéreas responsáveis pela região Amazônica. Também participam do exercício aviões de apoio e helicópteros para o alerta de busca e salvamento.











domingo, 23 de agosto de 2015

Aviões colidem em show aéreo na Suíça; acidente deixa morto

Uma pessoa morreu de acordo com a polícia.
Acidente ocorreu em Dittingen pouco antes das 6h30.

Do G1, em São Paulo
Partes dos dois aviões que colidiram neste domingo (23) são vistas no vilarejo de Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters)Partes dos dois aviões que colidiram neste domingo (23) são vistas no vilarejo de Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters)
Dois aviões pequenos colidiram em um show aéreo em Dittingen, na Suíça, neste domingo (23), matando pelo menos uma pessoa, segundo a polícia. Até o momento não se sabe se há outros feridos.
Duas aeronaves em uma formação de três se chocaram pouco antes das 6h30 (horário de Brasília), disse a polícia em um comunicado. Partes das aeronaves se espalharam pela cidade e a queda delas provocou danos em casas e em pelo menos um carro no solo.
De acordo com o joranl suíço "Blick", a vítima fatal é um dos pilotos. O outro conseguiu escapar acionando seu paraquedas.
Um dos aviões que colidiram durante show aéreo neste domingo (23) é visto em meio ao vilarejo de Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters)Um dos aviões que colidiram durante show aéreo neste domingo (23) é visto em meio ao vilarejo de Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters)
O festival no vilarejo de Dittingen foi interrompido até que as equipes de resgate realizem seu trabalho no local.

Este foi o segundo acidente fatal em dois dias durante apresentações aéreas na Europa. Neste sábado, um avião de combate que participava de uma exibição área caiu em West Sussex, um condado do sul da Inglaterra. A aeronave caiu em uma estrada movimentada e atingiu diversos carros, matando sete pessoas.
Imagem mostra destruição no vilarejo de Dittingen, na Suíça, depois que dois aviões que faziam apresentação colidiram (Foto:  REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )Imagem mostra destruição no vilarejo de Dittingen, na Suíça, depois que dois aviões que faziam apresentação colidiram (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )
Parte de casa ficou destruída após colisão de dois aviões em Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )Parte de casa ficou destruída após colisão de dois aviões em Dittingen, na Suíça (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )
Partes de avião são vistas em rua de Dittingen; dois aviões colidiram e uma pessoa morreu  (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )Partes de avião são vistas em rua de Dittingen; dois aviões colidiram e uma pessoa morreu (Foto: REUTERS/Kantonspolizei Basel Landschaft/Handout via Reuters )

Queda de avião em festival deixa sete mortos na Inglaterra



postado em 22/08/2015 13:55 / atualizado em 22/08/2015 14:50
Sete pessoas morreram neste sábado na queda de um caça de combate que participava em um festival aeronáutico em Shoreham-by-Sea, sul da Inglaterra.

O Secamb (Serviço de Ambulâncias da Costa Leste) confirmou a morte de sete pessoas no acidente, ocorrido durante o festival aéreo de Shoreham.
AFP PHOTO/SEAN HAWKEY

As imagens exibidas pelos canais de televisão mostram a queda do avião, um Hawker Hunter dos anos 50, em uma estrada próxima do local do evento, depois que o piloto aparentemente perdeu o controle da aeronave.

A polícia informou que uma pessoa ficou gravemente ferida e está internada. Outras 14 ficaram levemente feridas

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Aeroporto de Cabo Frio recebe pela segunda vez o maior avião de carga do mundo

Por Flávia Lira em 21/08/2015
Na tarde desta quinta-feira (21/8), pousou no Aeroporto Internacional de Cabo Frio, o avião de transporte de carga Antonov AN-124-100, que tem capacidade de transportar até 150 toneladas de carga.
O avião chegou do Canadá para fazer o transporte de três helicópteros de pequeno porte. Considerado a maior aeronave cargueira do mundo, o Antonov AN-124 é capaz de ser abastecido com 213.740 kg de combustível.
Características notáveis incluem o nariz (que, na verdade, é a porta de proa do compartimento de carga), as portas do compartimento de carga de cauda e 24 rodas permitindo operações de pouso em asfalto, terra, grama e neve (desde que preparada para isso).
A primeira vez que a aeronave tinha pousado pelo Aeroporto Internacional de Cabo Frio foi em novembro de 2009.
Estrategicamente localizado, o Aeroporto de Cabo Frio já se consolidou como uma importante base de importação e exportação de carga.
 
- É sempre um grande prazer receber esse gigante em terras cabofrienses – ressaltou o coordenador de Indústria e Comércio do município, Milton Roberto Souza, que citou, ainda, a importância do aeroporto para impulsionar a economia da região.
O Aeroporto Internacional de Cabo Frio conta com um pátio para aeronaves de 34,4 mil m², além de 60 mil m² de área alfandegada (qualificada para atender todos os regimes aduaneiros), um galpão de 16 mil m² e câmara frigorífica.

Sua pista tem 2.560 metros de comprimento por 45 metros de largura e é maior do que a dos aeroportos Santos Dumont e de Congonhas. Como está ao nível do mar, se equivale à pista de Viracopos, em Campinas. O aeroporto está estrategicamente localizado a apenas 60 km de Macaé, onde se concentra a indústria do petróleo; a 140 km do Rio, 550 km de São Paulo, 530 km de Belo Horizonte e 400 km de Vitória.

 

domingo, 16 de agosto de 2015

Peel Off dos Caças F-5 da FAB, durante SABRE II em Anápolis/2013

Avião desaparecido com 54 a bordo é encontrado após queda na Indonésia

Aeronave da Trigana Air Service desapareceu na província de Papua.
Avião levava 44 passageiros adultos, 5 tripulantes e 5 crianças e bebês.

Do G1, em São Paulo
Mãe de um passageiro da Trigana Air (centro) deixa escritório da companhia aérea em Jacarta neste domingo (16)  (Foto: Reuters/Rosa Panggabean/Antara )Mãe de um passageiro da Trigana Air (centro) deixa escritório da companhia aérea em Jacarta neste domingo (16) (Foto: Reuters/Rosa Panggabean/Antara )
Um avião de passageiros da Indonésia transportando 54 pessoas que havia perdido o contato com o controle de tráfego aéreo neste domingo (16) foi encontrado após acidente, informou uma autoridade da Aviação do país. "Temos informação procedente de residentes que o avião da Trigana Air foi achado em uma montanha do subdistrito de Okbape", anunciou em entrevista coletiva em Jakarta o diretor-geral de Aviação do Ministério indonésio de Transportes, M. Prasetyo.

Trajeto
O avião saiu de Jayapura, capital da província de Papua, com destino a Oksibil, na Indonésia.
Número de ocupantes
No avião havia 54 pessoas, sendo 44 passageiros adultos e cinco crianças e bebês, além de cinco tripulantes.
Perda de contato
O voo tinha duração prevista de 45 minutos e teria desaparecido 30 minutos depois de decolar. Dez minutos antes da hora da chegada, o avião contatou a torre de controle de Oksibil para pedir autorização para pousar. No entanto, a tripulação não teria relatado nenhum problema durante o voo.
Como foi encontrado
Moradores da área relataram que viram a queda do avião às autoridades e o diretor-geral de Aviação do Ministério indonésio de Transportes, M. Prasetyo, confirmou que a aeronave foi encontrada em uma montanha do subdistrito de Okbape, com base no relato dos moradores.
Buscas
As autoridades da Indonésia decidiram suspender as buscas devido ao mau tempo e às condições da área, que é montanhosa e extremamente íngreme. Os trabalhos serão retomados nesta segunda-feira.
Sobreviventes
Não há informações de sobreviventes.

M. Prasetyo disse ainda que as equipes de resgate chegarão nesta segunda-feira ao local e que ainda não há informações sobre sobreviventes.

A aeronave desapareceu na região leste da Papua-Nova Guiné, segundo a Agência Nacional de Pesquisa e Resgate da Indonésia (Basarnas).
Moradores da área relataram que viram a queda do avião. "Recebemos relatos de moradores. Nós, juntamente com a equipe de busca e resgate, também enviamos aviões para procurá-lo", disse o diretor de operações da Trigana, Beni Sumaryanto.
A aeronave pertencente à Trigana Air Service, um ATR 42, levava 44 passageiros adultos, cinco tripulantes e cinco crianças e bebês. Ela havia saído do aeroporto Sentani, em Jayapura, capital de Papua, com destino a Oksibil. O voo tinha duração prevista de 45 minutos e teria desaparecido 30 minutos depois de decolar.
Dez minutos antes da hora da chegada, o avião contatou a torre de controle de Oksibil para pedir autorização para pousar, contou Sumaryanto.

Mas o avião nunca chegou e, meia hora depois, a companhia aérea indonésia ordenou que outro aparelho fizesse o mesmo percurso para localizar o aparelho desaparecido.

"O tempo estava muito ruim, o avião não encontrou o outro e voltou para Sentani. Oksibil é uma zona montanhosa, onde o tempo é muito imprevisível. De repente, pode ficar nebuloso, escuro e com ventania, sem aviso prévio", explicou Sumaryanto.
Foto de arquivo de dezembro de 2010 mostra avião da Trigana Air Service ATR42-300, similar ao que desapareceu em Papua-Nova Guiné (Foto:  AP Photo)Foto de arquivo de dezembro de 2010 mostra avião da Trigana Air Service ATR42-300, similar ao que desapareceu em Papua-Nova Guiné (Foto: AP Photo)
Antes da confirmação do acidente, um porta-voz da polícia de Papua, Patridge Renwarin, afirmou à TV local que alguns habitantes haviam visto um avião cair e que as autoridades locais se dirigiam para a região para investigar o ocorrido.

"Suspeitamos claramente que é um problema relacionado com o tempo. Não se trata de uma superlotação, já que o avião podia transportar 50 passageiros", assegurou Sumaryanto.

O porta-voz do Ministério dos Transportes, J.A. Barata, confirmou que o avião perdeu contato e disse que o aparelho tinha previsão de chegar a Oksibil pouco depois das 3 da tarde, hora local (0h de Brasília).
"Ainda não estamos seguros do que aconteceu ao avião, estamos coordenando com as autoridades locais", afirmou à AFP antes da confirmação do acidente. Segundo ele, a tripulação não chegou a avisar que haveria problemas durante o voo.
"O tempo é agora muito ruim na zona, está muito escuro e nublado. Não é propício para uma busca. A área é montanhosa", acrescentou Barata, após decisão de suspender as buscas e retomá-las só na segunda-feira pela manhã.
Em entrevista à CNN, o analista de aviação Mary Schiavo disse que há muitas razões possíveis para a aparente falta de uma chamada de socorro. Pode indicar que os membros da tripulação estavam ocupados demais lidando com qualquer outra situação e não tiveram tempo de enviar algum aviso ou simplesmente não perceberam que estavam em apuros.

Autoridades disseram que o tempo estava claro quando o avião decolou, mas o meteorologista ouvido pela CNN disse que havia algumas tempestades sobre uma área montanhosa no trajeto do voo.

O clima pode piorar nos próximos dias, possivelmente impedindo os esforços de resgate em uma área com montanhas de até 3 km de altura (10 mil pés).
O transporte aéreo é bastante usado em Papua, a província mais ao leste da Indonésia, onde viagens por terra são frequentemente impossíveis.

'Lista negra'
De acordo com a France Presse, a Trigana foi colocada na lista negra de companhias da União Europeia desde 2007, pelo número de incidentes registrados.
As aeronaves da empresa estão proibidas de passar pelo espaço aéreo europeu devido a preocupações sobre padrões de segurança.
A Trigana Air teve 14 sérios incidentes desde que começou a operar em 1991. A empresa é uma pequena companhia aérea que oferece voos domésticos para 40 destinos na Indonésia.

A companhia utiliza pequenos aviões na remota e montanhosa Papua, e as más condições climáticas causaram vários acidentes nos últimos anos.

Na quarta-feira (12), um avião Cessna da companhia indonésia Komala Air caiu no distrito de Yahukimo, na Papúa, matando uma pessoa e ferindo gravemente outras cinco. As autoridades consideraram que o mau tempo foi responsável pelo acidente.

O setor aéreo indonésio está crescendo rapidamente assim como a economia do país asiático, e cada vez mais as pessoas usam avião para se deslocar pelo país, um imenso arquipélago.

Mas as companhias aéreas têm dificuldade de encontrar técnicos e pilotos bem treinados para acompanhar o ritmo de crescimento do setor.
Outros acidentes no país
Um avião da AirAsia que viajava da cidade indonésia de Surabaia para Cingapura caiu em dezembro do ano passado no mar de Java durante uma tempestade, matando os 162 ocupantes. O Airbus desapareceu cerca de 40 minutos após decolar.
Em junho deste ano, mais de 140 pessoas morreram na queda de um avião militar Hércules na Indonésia. O avião decolou de uma base militar e explodiu dois minutos depois sobre uma zona residencial.
Aeronave da Trigana Air Service perdeu contato com controle, anuncia perfil da Basarnas no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/Badan SAR Nasional)Aeronave da Trigana Air Service perdeu contato com controle, anuncia perfil da Basarnas no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/Badan SAR Nasional)

Avião da Indonésia com 54 a bordo perde contato com centro de controle

Aeronave perdeu controle na região da Papua-Nova Guiné, diz autoridade.
Avião é da Trigana Air Service, diz perfil oficial da agência no Twitter.

Do G1, em São Paulo
Um avião de passageiros da Indonésia transportando 54 pessoas perdeu o contato com o controle de tráfego aéreo neste domingo (16) na região leste de na região leste da Papua-Nova Guiné, segundo a Agência Nacional de Pesquisa e Resgate da Indonésia (Basarnas).
"Perdemos o contato com o avião", disse Bambang Soelystyo, chefe da Basarnas,à Reuters por telefone.
De acordo com o perfil oficial da agência no Twitter, a aeronave pertencente à Trigana Air Service, um ATR 42, levava 44 passageiros adultos, cinco tripulantes e cinco crianças e bebês.
Ela havia saído do aeroporto Sentani, em Jayapura, capital de Papua, com destino a Oksibil.
O porta-voz do Ministério dos Transporter, J.A. Barata, disse que ainda não se sabe o que ocorreu com o avião. "Estamos em contato com as autoridades locais", disse.
"O tempo está muito ruim agora na região, está muito escuro e nublado. Não é propício para uma busca. A área é montanhosa", disse.
Aeronave da Trigana Air Service perdeu contato com controle, anuncia perfil da Basarnas no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/Badan SAR Nasional)Aeronave da Trigana Air Service perdeu contato com controle, anuncia perfil da Basarnas no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/Badan SAR Nasional)